Minis no Brasil

Este foi flagrado no encontro da Estação da Luz, tem ar condicionado e cambio automatico.

Mini-atura



Este é o Mini de autorama da Scaxtric. Muito bem feito e fiel aos detalhes é uma réplica do famoso Mini vencedor em Monte Carlo.

Mini Arts

By Guy Allen

Mini-atura

Esse ai é da Tamyia, só que de rádio controle, tem motor elétrico e tração dianteira.
A carroceria é muito bem detalhada e pode ser montada na versão de rali.

Proprietários Famosos


Sim o Comendedor Enzo Ferrari tinha um Mini.
Podem dizer que nesta foto ele esta saindo do lado esquerdo e o volante nos Minis ingleses é a direita, portanto ele não estava dirigindo, mas é fato ele teve um.

Mini Arts


The Classic Mini (documentary)

Novo Mini Conversivel






Meu amigo Sabiá, envia notícia do lançamento do Mini Conversível 2009.

A estréia oficial será no Detroit Auto Show em Janeiro


Mini Arts


Mins no Brasil

Esse estava parado no Itaim, à venda.
O dono se chama Diego, se tiver interessado ele pede 40 mil.
Para ver o telefone dele é só ampliar a imagem.

Mini-atura


Meu amigo Alfredo, que tem um chinês encarcerado no armário, me manda a dica desta miniatura, de famoso carro e seu proprietário.
Conhecido da TV e do cinema Mr. Bean, com certeza é um dos maiores divugadores do carrinho.
Se você quiser um , tem na Action Figure Express por apenas 16 dólares.

Livro



Para quem está interessado em conhecer melhor a história e o os modelos do Mini, encontrará no livro Essential Mini Cooper um ótimo começo.
O livro pode ser adquirido de várias formas, pode ser encomendado na Livraria Culutra, no site Amazon, ou se voce não se importar em ter a cópia física do livro está no Google Livros.
Eu gosto de ter na estante.

MIni- atura


Fiquei na duvida se esse era miniatura ou arte. É da Kyosho escala 1:18.

Mini Arts

Por Derek Roberts

Minis no Brasil

Esse ai encontrei à venda na Private Collections recentemente. Segundo informações é um Morris de 1974.


Acessório

Apesar da enorme variedade de rodas disponíveis, na minha opinião estas rodas Minilite, são as mais tradicionais.
Tradição esta que vem do seu sucesso nos rallies.
Por isto se tornaram um acessório dos mais desejáveis para os Minis.


Minis no Brasil

Essa foto tirei da internet. Não conheço o carro, mas é um dos últimos modelos provavelmente de 1998 ou 1999.
Estava a venda em uma loja do Rio.

Mini- atura

Esse é o Mini Ha Ha, uma caricatura da Matchbox, que tem um motor de avião e um piloto com cara de doido. Ainda são bastante comuns e fáceis de achar no Mercado Livre. Mas pode guardar um, que um dia vai valer uma grana!

Mini Arts

Esta é a caixa do kit de plástico da Tamiya, não sei quem é o artista, mas de fato uma obra de arte.

Acessório

Os faróis , chamados de "milha", nem sempre são de milha.
São na verdade faróis auxiliares.
Os que são de milha mesmo, são usados com tempo bom e têm longo alcance, geralmente têm as lentes mais lisas. Seus fachos são mais concentrados.
E os de neblina, têm lentes com ranhuras que espalham o faixo de luz, em geral são mais eficientes se colocados mais baixo e se forem amarelos.
Dá para ver bem na fotos.
De qualquer jeito, são um item importantíssimo nos Minis para manter o DNA dos ralis.




Mini-aturas

Essa ai pertence ao meu amigo Alfredo, foi fabricado Corgi.
Além do capô e portas que abrem, acho que o mais legal são os faróis de vidro

Minis no Brasil

Esse é o Mini do Dinho do Rio de Janeiro, um Innocenti 1968 modelo Export 1300.
Essa foto é da época que ele comprou, e segundo ele, o pequeno já recebeu pintura nova e diversos melhoramentos.
Então, Dinho, quando quiser é só mandar mais fotos.

Minis no Brasil


Esse é o meu Mini.
Provavelmente quem acompanha o Carangos e Afins, já viu alguma foto.
Mas ele tinha que estar aqui também, por razões óbvias.
Mas o fato é o seguinte, hoje fui buscá-lo na oficina.
Foi fazer uma revisão depois do grande serviço que foi feito no motor e na suspensão.
Troca de óleo, reaperto no pivô, engraxar, regular o freio, deixou o Mini justinho de novo.
Agora resta decidir se me inscrevo no rali de Campos do Jordão dias 29 e 30.

Minis no Brasil

Mais um enviado pelo Dr. Luis Augusto do blog Antigomóveis.
Este foi flagrado no Brazil Classics deste ano.
Maravilhoso, veja os detalhes clicando na foto.

Mini arts


Acessório

Adesivo GB.
Acho muito legal essa "tradição" que existe na Europa de se mostrar o seu pais de origem. Quem tem Mini precisa deste clássico. O melhor é que é baratinho e vem pelo correio como carta.

Minis no Brasil

Este pertence ao Bigo, quando fotografei estava no Encontro da Estação da Luz em Julho de 2007.
Todo vestido de rali, como o famoso Mini vencedor em Monte Carlo em 1967.

Acessório


O volante é um acessório importantíssimo. Melhora a "pega" e dá a sensação de maoir controle.
Não é a toa que os carros de competição de turismo, nunca usam os volantes originais.
Quando se fala de Minis uma marca inglesa surge automáticamente por sua tradição: a Moto-Lita.
Estes volantes ainda são produzidos artesanalmente até hoje com materiais de primeiríssima qualidade.
Além disso também fabricam casacos e óculos de aviador.

Este é o modelo John Cooper Signature.

Peças

Uma pergunta frequente é sobre como conseguir peças para os Minis.
Atualmente com a internet, tudo ficou fácil, o problema é saber se o site é confiável ou não.
Tenho três dicas de sites muito bons e confiáveis.
O primeiro é o Mini Sport da Inglaterra.
O segundo o Mini Mania nos Estados Unidos que também atende aos New Minis.
E o terceiro é o tradicional Moss, que atende também outras marcas Inglesas, como Triumph e MG.


Minis no Brasil

Esse é o Mini do Wagner, um GT. O que acho bacana nesse carro é o teto solar. Não vou falar mais e peço ao Wagner que sempre passa por aqui para contar a história do carro.

Comentários




Agora sim os comentários estão funcionando bem.

Obrigado a todos pela visita!

Mini Moke


Mais uma preciosa colaboração, desta vez do Felipão do Blog Sport.
É sobre o Mini Moke, que era uma versão off-road do Mini, então é só clicar aqui para ler a história.

Minis nos Rallies


Pra que fazer o que já está feito? Lá no blog do também Doutor Luis, só que este é Luis César e advogado, tem uma ótima história dos Minis em competições
Então clique aqui e depois volte porque vai ter muito mais sobre este carrinho.

Minis no Brasil


A primeira colaboração vem de ningém menos que o Dr. Luis Augusto Malta, do blog Antigomóveis e colunista do portal Maxicar.
A foto foi tirada na exposição de Araxá de 2004.
É um Mini de 1975 e foi rodando 1800 km desde Novo Hamburgo -RS até lá em 20 horas. Nada mau!
Segundo o Wagner, que sabe tudo de Minis, o carro pertence ao Diogo.

Minis no Brasil


É a seção que mostrará as fotos dos Minis que estão circulando por aqui.
Este é conhecido, pertence ao Wlad de Campinas, é um Mayfair com volante a direita.

Uma breve História do Mini

Nascido na Turquia em 1906 Alec Issigonis, era descendente de Ingleses por parte de pai.
Assim, ainda jovem depois que seu pai morreu, mudou se com a mãe para a Inglaterra em 1923.
Formou-se engenheiro em 1928 e nutria uma enorme paixão pelos carros.
Depois de passar por empregos menores, chega a Morris, onde trabalhou durante a segunda grande guerra e ajudou ate no desenvolvimento de aviões e veículos militares.
Entre seus trabalhos na época estava o Morris Minor, que se tornou um sucesso e foi fabricado até 1971.
A Morris e a Austin se uniram para formar a BMC, o que fez que Alec se desligasse da empresa para retornar anos depois.
Em 1957 começa a crise de Suez e Alec recebe o desafio de fazer um carro compacto, que usasse peças já disponíveis.
Além disso, deveria transportar até 4 pessoas mais bagagem e caber em um espaço de 3 x 1,2 x 1,2 metros.
O carrinho era muito leve, pesando apenas 570 kg.
Apesar das suas dimensões externas tinha bastante espaço interno.
O interior era muito simples, contava com um grande velocimetro no centro do painel.
O volante tinha boa pega, e a direção boas respostas.
Entrar e sair do carro não exigia muito esforço mesmo para os passageiros do banco trazeiro.
O motor era o mesmo do Minor, porém colocado transversalmente.
Tinha quatro cilindros, 850 cc e um tanque de 25 litros o que lhe proporcionava ótima autonomia, fazendo até 20 km/litro. Era alimentado por um carburador SU e rendia 30 cavalos
O cambio foi colocado no cárter utilizando o mesmo óleo do motor que teve que ser especialmente desenvolvido pela Castrol. O cambio tinha 4 marchas e a tração dianteira levava o carrinho a 115km/h.
A suspensão independente nas quatro rodas, não era muito confortável, porém prorcionava excelente estabilidade. Tinha batentes de borracha invés de amortecedores e molas.
Os freios eram a tambor, e suficientes para o desempenho do carro.
Eram oferecidas duas versões: o Austin Seven e o Morris Mini Minor.